Cavaco, o consultor eleitoral.

Nacional
“Juro por minha honra desempenhar fielmente as funções em que fico investido e defender, cumprir e fazer cumprir a Constituição da República Portuguesa”.
Juramento solene conforme o número 3 do artigo 127º da Constituição

Cavaco fez o balanço do seu último ano de mandato e aproveitou para traçar aquelas que são, no seu entender, as características e pré-requisitos do futuro presidente da República. Aníbal Cavaco Silva, o consultor eleitoral, referiu isto e aquilo e ainda aqueloutro. Esqueceu-se do essencial: o futuro presidente da República deverá sobretudo encarregar-se daquilo que Aníbal nunca procurou fazer – cumprir e fazer cumprir a Constituição da República Portuguesa. Não admira.